Associação da 44 propõe trocar ordem das datas do escalonamento; lojistas aguardam decreto municipal

Região da 44 abriu as portas nesta terça-feira (30), como previsto pelo decreto municipal da prefeitura publicado na última sexta-feira (19).

0
Pessoas aglomeradas na Região da 44
De acordo com Jairo Gomes, presidente da Associação Empresarial da Região da 44 (AER44), o setor propõe trocar as datas de abertura e fechamento. (Foto: Reprodução)

Apesar da publicação do decreto estadual na noite desta segunda-feira (29), que faz alterações no decreto 9.653/2020 (publicado em 19 de abril), lojistas de Goiânia puderam abrir o comércio normalmente nesta terça-feira (30), na capital. Isto porque o Supremo Tribunal Federal (STF) deu autonomia aos municípios para optarem em seguir decretos estaduais ou optar pelo não seguimento.

Em Goiânia, o prefeito Iris Rezende (MDB) afirmou em reunião com o governador Ronaldo Caiado (DEM), que irá seguir o decreto estadual, que propõe quarentena alternada de 14 em 14 dias. Porém, até a publicação de um novo decreto, está em vigor o último decreto publicado pela prefeitura em 19 de junho, que entre outras medidas, libera a reabertura do comércio na capital a partir do dia 23 de junho.

Inversão de datas

Na região da 44, como estava previsto, lojistas abriram as portas na manhã desta terça-feira (30), cumprindo uma série de protocolos estabelecidos pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). De acordo com Jairo Gomes, presidente da Associação Empresarial da Região da 44 (AER44), o setor propõe trocar as datas de abertura e fechamento.

“Nós não temos dificuldade nenhuma de aceitar o 14×14 como quer o governador Ronaldo Caiado, a sugestão é para que possamos a partir de hoje, manter quatorze dias aberto, para depois fechar por 14 dias”, disse Jairo. A sugestão foi apresentada ao prefeito pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Romário Policarpo (Patriota).

Ainda de acordo com Jairo, a sugestão é de todo setor produtivo da cidade. “Nós estamos propondo manter aberto para depois fechar nesta inversão, para atender não só a região da 44, mas todo o setor produtivo da cidade”, completou.

De acordo com a assessoria de imprensa da Procuradoria Geral do Município, o Paço está “editando um novo decreto, baseado na redação do decreto estadual”. Ainda de acordo com a assessoria, ainda está sendo definido se o decreto seguirá todas as recomendações do governo estadual.


Leia mais: Decreto estadual que determina fechamento do comércio segue projeção da UFG; entenda