28.8 C
Goiânia
sábado, 22, janeiro 2022
- Anúncio -

Após suspensão pela Justiça, Sindicato dos Médicos de Anápolis mantém “estado de greve”

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que o município “estava em diálogo” com o Simea até ser surpreendido pelo anúncio da greve, na noite da greve.

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Advertisement -

Após o Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) determinar a suspensão imediata da paralisação dos profissionais da Saúde de Anápolis, o Sindicato dos Médicos de Anápolis (Simea) informou que a greve foi paralisada provisoriamente. Ainda segundo a entidade, deve ser mantido o “estado de greve” até a decisão do recurso que será interposto na Justiça. O Simea vai recorrer.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que o município “estava em diálogo” com o Simea até “ser surpreendido pelo anúncio da greve, na noite da última quinta-feira (14)”. A decisão é da juíza substituta em 2º grau, Camila Nina Erbetta Nascimento. O descumprimento da medida pode acarretar multa diária de R$ 5 mil ao movimento.

A juíza entendeu que o sindicato não apresentou um plano efetivo para a continuidade do serviço, “o que representa relevante gravame para a comunidade, mormente considerando o quadro de pandemia”, explicou. Para Camila, “a greve deflagrada acarretará um colapso para o sistema de saúde municipal, principalmente considerando o quadro de pandemia enfrentado em razão do novo coronavírus”, argumenta.

De acordo com o sindicato, mais de 250 profissionais que atuam nos hospitais públicos de Anápolis estavam em greve desde às 7h da última sexta-feira (15). Ainda segundo o Simea, enquanto durou a greve, os atendimentos eletivos estavam suspensos. Já os atendimentos de urgência e emergência foram mantidos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA).


Leia mais: UEG retoma aulas presenciais em novembro

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -